...
Feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

Postagem em destaque

O sorriso que muda tudo - Texto Especial

Engraçado quando você gosta de uma pessoa e ela não te dá nenhuma chance. Não corresponde seus olhares, alega que a distância é um fardo eno...

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Google+ Followers

Featured Posts

Social Icons

Arquivo do blog

Música e Poesia - Uma Página feita pra Você

Música e Poesia - Uma Página feita pra Você
Clique e conheça! Por Adriana Vieira

Arquivados

Tenha Talentosos Escritores no seu E-Mail

Compartilhe suas ideias!

Compartilhe suas ideias!

Em breve!

Marcadores

Traduza!

@Leoangellus

Anuncio!!

Leitor (a) da Semana

Leitor (a) da Semana
Quem será o próximo (a)?
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

Oferta Amazon!

sexta-feira, 1 de março de 2013

Corações Desimpedidos - CAP. 07

Zeca parecia não querer se afastar de Gizelle e ele viu ali a oportunidade que ele tanto queria que era de se aproximar de Gizelle e recuperar todos os momentos bons que eles viveram numa época não muito distante.
Daniel olhando para aquela cena parecia que o mundo desabara sobre sua cabeça. Aí estava a razão então porque ela o evitava. Era porque ela estava com aquele cara – pensava ele – e ela não queria lhe dar satisfações sobre aquilo tudo. Entendeu que não tinha nada a fazer ali e nem como amigo simplesmente ele não tinha condições de intervir na crise que Gizelle estava passando, pois ele reconhecia aí o seu interesse de conquistá-la e de agradá-la é que queria entrar naquela história de querer saber do paradeiro de sua amiga Grace prá ela. Afastou-se da porta e suas pernas tremulavam juntamente com suas mãos que tremiam segurando o corrimão das escadarias ao descer.
Gizelle num impulso viu que bastava e que aquilo não tinha nada a haver.
_ Por favor, Zeca é melhor você ir embora!
_ Me perdoe, Gizelle, mas eu fiz o que estava em meu coração. Eu ainda adoro você e quero que você me perdoe não por este momento por tudo o que eu te causei de ruim no passado.
_ Eu não quero falar sobre isso agora. Não é momento de rever o passado algum eu estou preocupado com a Grace e tenho de qualquer  maneira avisar os pais dela o que você me passou ainda pouco.
Cabisbaixa e trêmula ela se sentou no sofá tentando digitar para casa de dona Alda mas Zeca a deteve segurando suas mãos de completar a ligação.  Ele a segurou pelo ombro fazendo que ela o olhasse nos olhos novamente sentados os dois ali.
_Será que eu posso esperar uma nova chance?
Gizelle estava abalada com aquilo tudo e muito confusa e não esperava aquilo tudo diante dos devaneios que ela estará antes por Daniel.
Se desvelenciou de Zeca mais uma vez e:
_ Zeca obrigado por tudo, continue me mantendo informada de qualquer novidade, mas eu preciso que você vá embora agora. Obrigada pela companhia e pelo teu empenho. Eu preciso ficar sozinha agora.
Zeca saiu sem dizer mais uma palavra, olhando para Gizelle mas percebeu que ela ficara impactada e que aquela reação dela poderia ser um sinal de esperança para ele.
Quando ele saiu, Gizelle foi depressa trancar a porta e ficou encostada sobre ela olhando para o vazio com o rosto pálido e não sabia o que pensar mais. Tudo o que ela precisava naquele momento era... Ver Daniel estar perto dele, poder desafiá-lo novamente diante da ousadia dele. Talvez desta vez – pensava ela consigo mesma – ela já não seria tão dura e cedesse um pouco mais.
Daí a pouco Gizelle pega o telefone e fala com Doroth.
_ Como estão às coisas por ai?
_Tudo sob controle amiga. – disse Doroth um tanto curiosa pois não sabia qual atitude Daniel iria tomar depois da conversa dos dois naquela tarde. – E você? Está bem?
_Sim, sim, eu.. To bem. Um tanto cansada.
_Amiga, eu to estranhando a sua voz e te conheço muito bem. Tem certeza do que ta me dizendo? Você está bem mesmo?
_Olha, Doroth..._ Gizelle já sabia que não conseguia esconder nada da amiga_ quando terminar o expediente aí preciso que venha até aqui.
Doroth estranhou a aflição da amiga e pensou logo que Daniel dera alguma bandeira e que poderia comprometer a amizade das duas. E ficou um pouco pensativa.
        _ Você ta me ouvindo, Doroth?
_ Sim, eu vou já prá ai quando terminar tudo aqui.
_ E o Daniel? Está ai?
_ O Daniel?! _ Doroth não estava entendendo nada.
_ Sim, o Daniel. Como está ele aí no serviço?
_ Eh, ele deu uma saída, pois não estava se sentindo bem, mas está tudo sob controle.
_Mas aconteceu alguma coisa?
_ Não amiga, ta tudo bem. Olha deixa eu chegar aí prá nós conversarmos ta bom ?
_Te aguardo então. – desliga Gizelle.
    Quando Dorothy desligou ela ficou ainda parada com o telefone á mão e não conseguia entender o que poderia ter acontecido. Ela lembrava que Daniel saíra dalí resoluto a tomar atitudes a mais em relação a Gizelle e não podia entender o que poderia acontecer e o que poderia ter dado errado.Estava mais curiosa ainda por saber o que poderia ter acontecido diante do nervosismo de Gizelle e aquele telefonema intrigante. Começou a apressar as coisas para sair logo para ir prá casa da amiga.
Sua distração foi interrompida com a entrada do Sr. Otávio que entrara com sua valise na mão como que de saída.
_Olá, Dorothy! Eu to de saída, vou me encontrar com um cliente novo e não volto. Peço que cuide de tudo ai e feche o escritório.
_ Sim, Sr. Otávio!
Ele se vira para ela um pouco antes de tomar a porta e pergunta:
_ E Gizelle, como está? Já conseguiu resolver lá o caso da amiga desaparecida.
_ Ainda não seu Otávio, mas ta todo mundo mobilizado. Mas amanha ela estará de volta.
_Não seja por isso, o importante é ela resolver esse caso e ficar bem. E o Daniel? Onde está?
_ Ele deu uma saída mais cedo, Sr. Otávio. Mas algum problema?
_Não, não de maneira alguma... só uma observação.Daniel e Gizelle... Ta acontecendo alguma coisa entre eses dois?
    Dorothy ficou um tanto assustada com a pergunta do Sr. Otávio.
_ Não!... Não de maneira alguma, Sr. Otávio, quer dizer... pelo menos que eu saiba.
    Sr. Otávio deu um sorriso cúmplice se dirigindo para a porta:
_ Esses dois não sei não!. Sinto que ta rolando, como vocês falam, alguma coisa no ar.
E saiu.
Dorothy viu aí então que o clima entre Daniel e Gizelle estava já indisfarçável.

*
Daniel chega a casa e encontra seu irmão á espera dele.
_E aí cara, vi te esperar aqui, mas não esperava que você chegasse tão cedo. Vim falar prá você a novidade: aquilo que você me pediu para ajudar achar a tal garota a Grace...
_pode esquecer, cara, pode esquecer ! _ Disse Daniel antes que seu irmão acabasse se falar_ te agradeço por tudo mas não precisa mais não.
Daniel se jogou no sofá exausto e abatido e Wallace estranhou seu jeito.
_ Que foi, fera, que aconteceu? Você parecia tão entusiasmado e empenhado em ajudar a tal Gizelle nesse caso. E eu sei muito bem porque, sabe disso.
_ Pois então pensou demais! desespensa então.
_Peraí cara, eu venho aqui na melhor das intenções tentando te dar uma bola no que você me pediu e você me da várias patadas dessa.
Daniel estava estressado e olhou para o irmão ansioso. Seu olhar estava transtornado.
_Desculpa ai, mano. Não é nada com você não. Não é nada disso. Eu é que sou um babaca mesmo.
_Perai, cara, o que aconteceu? Desanimou de ajudar a garota?
_ Não vale a pena não cara. Não vale a pena mais nada. Vamos sair prá tomar alguma coisa e no caminho te conto.
_ Calma aí cara, você ta muito nervoso e cair na bebida assim sem mais nem menos não vai adiantar nada. Não quer me contar o que ta acontecendo?
_Porra, cara eu fui lá. Lá no apartamento dela. A Dorothy me ajudou e me deu o endereço para ir lá conversar com ela e hoje tinha certeza que ia colocar ela na parede e tomar uma decisão em relação a nós dois. Esperava que ela ia parar de uma vez de me tratar mal as vezes que eu me declaro prá ela.
_Poxa, cara imagino que ela não quis te receber ou que deu tudo errado!
_Mais do que errado, cara. Quando ia chegando a porta tava meio aberta, pois alguém parecia ter acabado de chegar. E você não imagina o que eu vi.
_Viu o que, cara?
_Ela tava beijando outro maluco, brother, Foi isso que eu vi.
Wallace olhava para o irmão sem entender e tão intrigado quanto o irmão.
_Agora sei, - continuava Daniel_ agora eu sei porque ela me recusa e me dá sempre fora. Eu devia ter vergonha na cara! Ela ta com aquele cara que eu vi ela beijando.
_ Mas e aí?
_ Ai que eu metí o pé antes mesmo de entrar e falar com ela. Eu só ví porque empurrei a porta que tava entreaberta e vi os dois se beijando. Ninguém me contou não, cara, eu mesmo vi.
Wallace via o quanto seu irmão tava arrasado e não o vira assim desde que ele teve a crise amorosa com Maria.

*

Alda e Emiliano continuavam a conversarem e o clima estava acirrado entre os dois.
_ que é isso, Alda, você ta me mandando embora.
_Eu quero que você tome uma decisão entre nós dois, Emiliano e entenda de uma vez que não dá prá nós vivermos esses tormentos a ponto até de atingir nossa filha e passarmos por essa agonia como agora.
_Você que me persegue, Alda, sempre arrumando motivos para nossas brigas. Você é a culpada de tudo. Eu já não agüento mais isso. E agora quer me culpar também por tudo.
_Eu quero minha filha de volta!  E depois que isso se resolver, você decide se vai continuar vivendo ao meu lado me dando uma vida direito e digna.
_ Mas não te falta nada, Alda, e nunca faltou nem prá você e nem prá nossa filha.
_Você sabe muito bem do que estou falando, Emiliano, você sabe. Nada é mais precioso do que a atenção, o carinho, a Companhia, tudo isso que você esqueceu a tempos o que é. A muito tempo que você vive indiferente comigo e eu to me sentindo um nada ao seu lado por causa desse teu tratamento comigo.
Emiliano vira-se para o lado e Alda para o outro querendo chorar. Emiliano bem sabia do que ela estava falando e ele realmente se sentia desgastado ao seu lado e não sabia o que dizer.
O silêncio foi quebrado com o toque do telefone. Sem ter noção da urgência ou não do telefonema Emiliano vai atender, mas fala:
_Deve ser Gizelle com novidades.
Alda se vira e fica olhando.
_Alô! _ diz Emiliano.
_Pai! È você!? _ do outro lado da linha.
_ Grace??? Onde você está?
Alda corre quase que desesperada para o lado do marido ao telefone:
_A Minha filha!!!


*
Do outro lado da linha falando ao celular, Grace mal podia se dar conta do visual que se descortinava diante dos seus olhos quando ela desceu daquele ônibus naquela rodoviária daquela cidade baldenária á duas horas do Rio de Janeiro.
_ Eu to bem pai. To bem. Fala prá mamãe ai prá ficar tranqüila ai que logo que puder to voltando.
Grace sabia que seu pai iria insistir no telefone, mas que isso acontecesse, ela desligou o celular e colocou em sua bolsa de novo. Nas suas costas estava com sua mochila e parecia ter chegado naquela cidade para ficar.
 Logo, antes de pegar um táxi ela contemplou o mar que estava á sua frente e que fazia parte da paisagem daquele ponto da rodoviária e reconheceu de longe o que ela muitas vezes ela tinha visto de passagem em sites de turismo. Pelo contornos das montanhas daquela ilha lá ao longe ela reconheceu: Era a Ilha Grande e que logo ao pegar uma traineira em algum ponto próximo ali onde ela estava já estaria lá: Ilha Grande. Mas antes disso. Precisava se encontrar com uma pessoa que ela premeditadamente tinha marcado no Facebook e que desejava conhecê-lo muito pessoalmente. E não seria ali o local do encontro. Logo que conseguiu um táxi ali mesmo perto da plataforma onde o ônibus a deixou ela se dirige ao motorista:
_ To querendo ir á um Shopping perto de um lugar chamado... esqueci agora, moço.
_ sei perto das Marinas! – falou o Motorista_ entre moça.
Quando Grace entrou no veículo e se sentou na parte de trás, ela se sentiu incomodada diante de uma paisagem tão deslumbrante e aquele vidro fumê do veículo a atrapalhando de curtir a paisagem.
 Posso descer o vidro aqui moço.
Num aperto de botão, o vidro descerrou e o sol daquela tarde ainda iluminava com maestria a paisagem deslumbrante daquele local e o ar de montanmha ainda predominava de quando ela via durante a viagem pela estrada sinuosa de Santos até aquela cidade.
Logo que saiu da rodoviária ela póde ver o carro se emaranhar no transito e diante de uma orla maravilhosa, movimentada e que oferecia o cenário de varias ilhas ali mesmo do carro diante da Orla. Além do cenário da Ilha Grande de longe ela podia ver ainda outras pequenas ilhas que fazia parte das trezentas e sessenta ilhas que se dizia ter naquela região.
_ Que parte é essa da cidade, moço ?
_ Essa aqui é a Praia do Anil. Praticamente estamos no centro da cidade. Mas a moça não é daqui de Angra dos Reis?
_ Não sou do Rio.
_Vem á casa de parentes por aqui. Por acaso mora nas marinas no condomínio?
Grace deu um sorriso e falou.
_ Não moço. Na verdade, vim atrás de uma paquera que eu conheci pela internet e vou me encontrar com ele nesse shopping aí das Marinas. Vai demorar chegar, moço? _pergunta ela feliz e radiante por estar em Angra dos Reis.
←  Anterior Proxima  → Inicio
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Meu Canal no Youtube

Novidade!!

Blogs Brasil

Google+ Badge

Ajude o site e ganhe um brinde exclusivo!

Quem será o próximo (a) Leitor (a) da Semana hein?

Quem será o próximo (a) Leitor (a) da Semana hein?

Siga-nos por E-Mail

As Top 5+!

Frase do Dia

Seguidores