...
Feed
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.

Ads 468x60px

Postagem em destaque

O sorriso que muda tudo - Texto Especial

Engraçado quando você gosta de uma pessoa e ela não te dá nenhuma chance. Não corresponde seus olhares, alega que a distância é um fardo eno...

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Google+ Followers

Featured Posts

Social Icons

Arquivo do blog

Música e Poesia - Uma Página feita pra Você

Música e Poesia - Uma Página feita pra Você
Clique e conheça! Por Adriana Vieira

Arquivados

Tenha Talentosos Escritores no seu E-Mail

Compartilhe suas ideias!

Compartilhe suas ideias!

Em breve!

Marcadores

Traduza!

@Leoangellus

Anuncio!!

Leitor (a) da Semana

Leitor (a) da Semana
Quem será o próximo (a)?
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

Oferta Amazon!

quinta-feira, 16 de maio de 2013

CAP.12 - Corações Desimpedidos


Enquanto Gisele e os outros ficam inconformados com a perda de Grace, Emiliano e Alda não conseguem conter as lágrimas. Aquele momento une o casal de uma maneira muito especial e comovente, fazendo com que eles esquecessem as mágoas do passado e estivessem juntos e sensibilizados com uma notícia triste e lamentável, o que tirou uma parte de cada um deles.
- Eu não vou saber viver sem a nossa filha, Emiliano. Porquê? Eu só queria entender o porquê.
- É difícil responder tal pergunta.
- Eu só queria que as nossas vidas mudassem. Ah como eu queria que ela estivesse com a gente agora. Eu faria tudo para vê-la feliz.
- Eu sou o culpado, Alda. Eu não devia ter dito palavras que feriram a nossa relação de uma maneira que ficou incontrolável. Eu fui injusto com você por várias vezes e nunca me senti um pai de verdade pra Grace. Eu nunca me importei com vocês duas. Essa é a verdade!
- Eu sei, Emiliano que você nunca foi um pai presente pra Grace, mas não se sinta culpado porque eu também me sinto. Eu também fui arrogante com você e mesmo sabendo que você não era um pai presente na vida da Grace, eu nunca admiti pra mim mesma que nossa relação era tão familiar como os outros viam. Eu sempre apostei na felicidade da nossa família e nunca parei pra observar os erros que a gente cometia, que a gente tomava nas horas incertas. Sempre ocultei os fatos, Emiliano. Se eu soubesse que não daríamos certo, não teríamos ficado junto e você não teria registrado a Grace em seu nome.
- Alda, o fato é que eu me apeguei á Grace de uma forma muito especial. Mas com o tempo, eu fui me tornando egoísta, via o trabalho em primeiro lugar e deixei de ver a nossa filha, tentar entender o que passava com ela. Eu errei, Alda e hoje eu reconheço isso!
- A Grace tinha esperanças de que formássemos uma família unida. Ela comentou com uma amiga que esse era o sonho dela.
Emiliano se afasta do sofá e observa a lua no céu pela janela e Alda via lágrimas rolando em sua face.
- E agora, como vai ser nossas vidas a partir de hoje? - pergunta ela, sofrida.
- Eu sinto muito, Alda mas a nossa relação não dá mais. Eu espero que você saiba qual caminho seguir agora.
- Eu esperava por isso, Emiliano. Eu também pensaria da mesma forma.
- Mas preciso te falar uma coisa. - ele vira-se a ela. - Eu não quero terminar nossa relação com mágoas e ressentimentos do passado. Gostaria que a gente tivesse uma separação amigável, sem brigas e sem transtorno judicial. Pela Grace!
Alda fica pensativa por alguns instantes e consente.

Murilo não consegue dormir sem pensar na sua amada Grace e acaba incomodando Zeca que dormia no mesmo quarto de hotel.
- Mano, o que está havendo? Ainda acordado á esta hora da madrugada?
- Ah mano foi mal, mas eu não consigo dormir sem pensar nela.
- Murilo, tenta dormir cara! Vai te fazer bem. Amanhã é outro dia!
- Zeca, eu não me conformo com essa notícia. Devem estar errados sobre a Grace! Ela está viva. Em algum lugar ela está viva.
- Emiliano viu o corpo e disse que é da filha. Não tenha mais dúvidas! Aceite a realidade cara!
- Eu vou ver o corpo mano. Amanhã eu vou dar uma passada no IML e vou verificar se é ela mesma ou não.
- Eu não vou deixar você cometer uma bobagem dessas. Você vai sofrer ainda mais se a vê-la naquele estado. - diz Zeca, firme.
Murilo não se convence dos fatos.

Na manhã seguinte, Gisele acorda indisposta e encontra Dorothy tomando o seu café.
- Bom dia amiga!
- Bom dia Gi!
- Nossa! Eu passei a noite toda acordada. Não consegui pregar o olho.
- Eu também Gi. Ainda não caiu a ficha do que aconteceu com nossa amiga.
- Nem me fala Dorothy. Como está a D. Alda e o Sr. Emiliano?
- Eles ainda estão no quarto. Não acordaram ainda pra tomar café. Mas devem estar abalados  ainda Gi. Afinal perder uma filha não é fácil.
Gisele senta diante da mesa do café e passa requeijão em seu pão ainda quente, acompanhado de uma xícara de café com leite.
- Daniel telefonou pra mim ontem á noite.
- Hum. E como ele está?
- Triste com a notícia da Grace.
- Perguntou por mim?
- Não, Gi. - diz Dorothy.
Gisele larga a xícara e o pão e fica em silêncio por alguns instantes e a amiga percebe.
- Gi, porque você não dá uma chance á si mesma e procura por ele.
- Dorothy, eu não quero falar sobre Daniel agora. Não neste momento.
- Desculpa! - diz Dorothy, ficando em silêncio e deixando Gisele tomar seu café em paz.
Neste momento, ouve-se batidas na porta e as duas se entreolham.
- Gisele, sou eu Zeca! - diz o rapaz do lado de fora.
Gisele atende o amigo, que entra apressado.
- O que houve agora, Zeca?
- O Murilo. Ele passou por aqui?
- Não, Zeca. Mas porquê? O que aconteceu? - Se intriga Dorothy deixando Gisele preocupada.
- Então ele foi aonde eu imagino que iria.
- Pode ser mais claro? - pergunta Gisele encabulada.
Zeca decide contar tudo.

Ao chegar no IML, Murilo tenta convencer o médico legista ao deixá-lo entrar na sala e ver o corpo, mas ele o detém porque já foi reconhecido pelo pai da moça. Emiliano chega no momento e assiste a cena do rapaz.
- Sr. Emiliano, que bom o senhor está aqui!
- Murilo, o que faz aqui?
- Eu preciso ter certeza de que ela está mesmo morta.
Emiliano estranha a atitude do rapaz e o abraça.
- Rapaz, fica calmo! A Grace está viva em nossos corações agora.
- Eu não me conformo com isso, Sr. Emiliano. Tem certeza de que era ela?
Emiliano não consegue resistir ás lagrimas que começam a brotar dos seus olhos quando se lembra dos pertences e do corpo diante dele naquela sala fria.
- Se o senhor me confirmar que realmente ela estava lá e que o senhor mesmo a reconhecera, eu juro que me conformo. - pede Murilo, angustiado.
Emiliano engole á seco as palavras do rapaz e diz:
- Eu não vi o corpo, Murilo. Aliás, eu vi o corpo mas eu não tive coragem de reconhecer.
Murilo fica surpreso com as palavras de Emiliano e ele continua:
- Eu só vi os pertences da minha filha apenas junto com o corpo mas eu não a vi.

Enquanto isso, Grace é cuidada por uma família de um pescador desconhecido.
- Eu só queria agradecer por ter me ajudado. - diz Grace, indisposta e consciente.
- Não precisa agradecer não, moça. Eu não podia ter deixado você sozinha naquele barco.
- Se eu soubesse que isso ia acontecer, eu tinha ficado em casa com meus amigos e minha família.
- Sei que o que aconteceu não foi fácil mas agora a gente precisa levar você pra sua família o mais depressa possível.
- Eles não sabem que estou aqui. Aliás ninguém sabe. Eu estou perdida.
- Você tem a gente, moça. Não está perdida não. A gente vai tentar te ajudar da melhor maneira possível. Já encontraram o barco e uma vítima do acidente.
- Oh céus! Então ele não resistiu. - Algumas lágrimas começam a cair face abaixo.
- Moça, por alguma graça de Deus, você está viva! Se eu não estivesse passando por perto naquele momento, não sei o que poderia ter lhe acontecido entende?
- Eu sei disso. Mas me diga: ainda estão me procurando?
O pescador olha pra mulher que faz um sinal de concordância.
- Olha, eu não quero mentir pra você não moça, mas eles acham que você ainda está no mar.
Grace fica sem palavras diante da situação em que se encontrava.
E o pescador a anima:
- Mas agora sabendo que você está viva, daremos um jeito de levá-la á cidade. Não se preocupe!
←  Anterior Proxima  → Inicio
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Meu Canal no Youtube

Novidade!!

Blogs Brasil

Google+ Badge

Ajude o site e ganhe um brinde exclusivo!

Quem será o próximo (a) Leitor (a) da Semana hein?

Quem será o próximo (a) Leitor (a) da Semana hein?

Siga-nos por E-Mail

As Top 5+!

Frase do Dia

Seguidores