Blogs Brasil

® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Terceiro Capítulo de Unidos pelo Destino

Esmeralda olha para a pedra do cordão e este reluz fortemente. A jovem não fica com medo mas recebe aquela energia envolver seu corpo, lhe deixando leve a ponto de sofrer um pequeno desmaio. A velha a socorre nos braços pois já estava ciente de que isso aconteceria e a leva para sua cabana, onde a repousa em sua cama.
_Descanse Esmeralda! _diz a velha séria ligando o lampião á gás.
Da árvore, uma coruja observa toda a cena e abre suas asas para voar, chegando na casa de Guilherme alguns segundos depois.
_o que me contas de bom, hein amigo?
E ele aproxima seu rosto da coruja e obtém a visão da cena que a ave presenciou.
_Esmeralda. Ela tocou na pedra. Agora tudo faz sentido. Obrigado amigo! _e ele coloca a ave de volta no galho da árvore e se afasta.


Enquanto isso, Esmeralda continua desmaiada e a velha acende um incenso de flores silvestres e a envolve com aquela fumaça agradável, fazendo-a despertar e tossir.
_Onde estou? _ela pergunta confusa.
_Em minha casa. _diz a velha, séria.
_preciso voltar pra casa antes que meus pais comecem a discutir comigo.
_Não se preocupe. Eles não vão discutir com você. _diz a velha, acendendo uma vela e fazendo uma pequena prece.
_O que está fazendo? Que cheiro é esse?
_Incenso. _ela responde.
_Por quê me trouxe aqui?
_você desmaiou com o poder da pedra.
_A pedra! Agora lembro. Você me enfeitiçou né?
_Não. Eu não preciso disso.
Esmeralda fica totalmente perplexa.
_O destino aliou você a pedra.
_Pode ser mais clara?
_lembra que um dia lhe disse que você tinha dons?
_Isso faz tanto tempo mas lembro sim.
_Esmeralda, assim como muitos gostam de você, muitos também lhe odeiam. Mas não por você e sim pela sua família, o que deixa claro a sua origem.
_Do que está falando velha?
_mais tarde você vai entender.


_Olha só que papo e esse de que mais tarde eu vou entender? Eu tenho dezessete anos. Eu quero entender agora pode ser?
_você não está preparada ainda pra saber de tudo.
_Mas eu insisto em saber. É a minha vida, a minha família.
_Não esquece de colocar o cordão no pescoço. _ela muda de assunto.
Esmeralda olha para o cordão ao seu lado e a encara séria.
_Eu não vou tocar nesse cordão.
_você não pode fugir do seu destino Esmeralda. Você pode não querer usar o cordão agora mas cedo ou mais tarde vai querer usar.
_Jamais! _ao dizer isso, um ruído de um trovão anuncia no céu.
_parece que vai chover. _diz a velha.
_por favor senhora, me diga o que eu preciso saber.
_eu não posso Esmeralda. Mas só quero lhe avisar que você precisa tomar cuidado. Tem pessoas querendo lhe ver pelas costas e você vai precisar ser forte minha menina.
De repente, ela se lembra de Guilherme pedindo que da próxima vez que receber o cordão, é pra pegar e trazer a ele.
_Realmente eu vou precisar. _diz ela, falando em tom baixo.
_sim. O cordão pertence a você e você deve leva-lo.
_como? _ela fica perplexa ao perceber que a velha leu seu pensamento.
_Melhor você voltar pra casa. Está ficando tarde.
_Eu gostaria de voltar aqui de novo. Nossa conversa não terminou.
_Esmeralda, se você soubesse o perigo que ronda a sua vida jamais pensaria na ideia de querer saber dessa história agora. Dê tempo ao tempo e tudo se resolverá.
Esmeralda fica séria e a velha abre a porta para ela sair.
_como vou voltar pra casa nessa floresta escura?
_ah menina! _diz a velha, pegando o lampião e a entregando juntamente com o cordão. _Leve com você os dois e sem perguntas!
A jovem pega o lampião e na hora de pegar o objeto, se preocupa.
_Confia no seu coração sempre minha menina!
Ao ouvir aquelas palavras, ela pega o cordão e põe em seu pescoço, onde a velha a vê brilhar cintilante.

Horas depois, Esmeralda corre até a casa de Guilherme e este a vê toda nervosa.
_Esmeralda! O que houve?
_Eu não sei o que aconteceu mas eu tive uma sensação estranha.
_Entre menina! _ele a deixa entrar e fecha a porta.
_eu encontrei a velha de novo e ela me deu o cordão.
Esmeralda a mostra em seu pescoço.
_Guilherme quem é ela? E porque ela sabe da minha vida?
Guilherme fica em silêncio.
_Eu preciso saber qual é o meu destino.


Alexandre se encontra com o banqueiro Wander que o cumprimenta, apertando sua mão.
_tenho boas notícias pra você meu caro amigo. _diz Wander.
_espero que sejam boas mesmo porque estou farto de esperar.
_tem uma pessoa interessada naquele castelo, no qual você pretende demolir.
_Wander, eu não posso vender pra ninguém. Eu só preciso comprar o terreno de Guilherme pra então expandir mais ainda.
_ele pretende pagar um valor bem alto.
Alexandre fica sério por um instante.

Dulce trabalha na cozinha quando um dos capangas de Alexandre entra, pedindo café. Esta lhe serve gentilmente.
_Dulce, vou lhe perguntar uma coisa.
_diga homem. _diz ela.
_você confia nesse tal de Guilherme?
_Olha ele é um bom sujeito apesar de ser tranquilo e fazer o que faz. Não vejo maldade nele. Por que perguntas?
_então você confiaria nele? _pergunta Donizete.
_sim homem de Deus. Eu continuo sem entender porque dessa pergunta. _diz Dulce, encabulada.
_por nada Dulce. É que eu não gosto desse homem e quando ele fica perto de Esmeralda, eu fico com mais pé atrás.
_ele é amigo da família e a gente que somos empregados não podemos interferir na relação de amizade entre eles.
_concordo. Eu não vou interferir na amizade dos nossos patrões. Eu só estou dizendo que não confio nele. Apenas isso.

Guilherme acende uma vela e coloca o cordão no meio do altar.
Ele olha para Esmeralda e pede para que esta coloque sua mão direita sobre o objeto. A jovem faz o que ele pede e fechando os olhos, repete o que ele diz. De repente, a vela se apaga com o soprar do vento e Guilherme abre os olhos.
_Eu sinto muito Esmeralda mas a velha tem razão com o seu destino.
Esmeralda abre os olhos e diz:
_como assim?
_você vai encontrar um rapaz e vai se apaixonar por ele...
_a mesma coisa que ela tinha me dito no passado ainda quando eu era mais nova.
_sim. E é através desse rapaz que você vai viver sonhos lindos e vai desfrutar de sua liberdade. Esse rapaz é sua sina Esmeralda.
_quem é ele Guilherme?
_ainda não sei minha jovem mas só consigo prever que ele lhe trará alegria mas ao mesmo tempo tristeza. _ele diz ao olhar a vela que lacrimeja.
Esmeralda fica preocupada.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lançamento!

 
Copyright © 2013 Conectando Ideias - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT
close
#