Blogs Brasil

® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

sábado, 11 de abril de 2015

46º Capítulo - Unidos pelo Destino

Cheio de raiva e se sentindo ofendido por Alexandre, Donizete saca seu revólver da cintura e aponta para ele, que caminha até a porta da entrada.

_Merda é você! Não eu!

Ao ouvir aquelas palavras e virar-se de frente ao empregado, Alexandre fica sério e diz em seguida:

_Você não teria coragem de atirar em mim. Justamente em mim que lhe confiei tanto nessa vida. Donizete, guarde essa arma pois você pode se arrepender depois.

Donizete fica nervoso com o revólver na mão e Alexandre lhe pede calma. Ao perceber que havia gente se aproximando, ele sem dó nem piedade, atira e a bala acerta o peito de Alexandre que permanecia imóvel ali.



_Desculpa! _diz Donizete, tenso ao ver seu ex patrão com a bala cravada em seu peito.

Gotas de sangue escorrem ao chão e ele, perplexo encara o empregado que o olha arrependido. O disparo assusta Iracy que logo chega no quintal assustada e ao deparar com a cena, se desespera.

_Assassino! _diz Iracy, gritando para o empregado que coloca a mão na cabeça e joga a arma no chão.

_Eu não queria, Dona Iracy! _ele diz, soluçando.

_Assassino! Você matou o meu homem. Eu te odeio! _diz Iracy aos prantos ao ver que Alexandre não conseguia falar palavra alguma.

Donizete, tenso com a situação, decide fugir dali depressa, largando Iracy com Alexandre ali.

Ela vê o revólver no chão e decide atirar no capataz.

_Seu assassino, morra! _e ela dispara vários tiros, mas nenhum consegue acertar. _Por favor, meu amor! Não me deixe!

Alexandre crava seus olhos nela e diz, em soluço:

_Salva o que é nosso!

_Pode deixar meu amor! Eu vou salvar. Mas não me deixe por favor! Eu preciso de você.

_Está ficando tudo escuro. Eu.. eu.. te amo!

_Nãoooooooooo! _grita D. Iracy fortemente e assusta até as garças no rio.




Herus fica encabulado ao ouvir a confissão de Harris e fica pensativo por um momento até que vê Esmeralda chegar. E ela não estava passando bem.

_O que houve meu amor? _pergunta ele, ao segurá-la.

_Eu não sei Herus, mas sinto um aperto no coração.

Harris fica preocupado e se propõe a ajudá-la.

_Quer que eu pegue um copo d’água pra ela Herus?

_Sim. _responde Herus. _Então, tente descansar que não pode ser nada demais. Apenas uma queda de pressão.

_Tomara que seja. _diz ela, inquieta.

Harris chega com o copo d’água e a serve.

_Obrigada! _ela agradece gentil. _Alguma novidade?

Herus e Harris se entreolham.



Já na floresta, Donizete corre feito louco e acaba tropeçando nas pedras da cachoeira. Cansado de tanto fugir e temido pela atitude que fez, ele só pensa em sair dali o mais rápido possível mas sua fuga é interrompida quando ele encontra um espírito em sua frente. O susto o faz se desequilibrar e chocar sua cabeça contra a pedra.

Ele consciente, lembra da cena do passado: a noite em que Dionísio morrera fatalmente assassinado.

“Naquela noite tenebrosa e cheia de mistérios, Alexandre suspeita que sua filha estava se encontrando com alguém escondido e decide dar uma ordem expressa á Donizete.

_Pode deixar Sr. Alexandre! Se eu ver o rapaz, eu dou um susto nele.

_Susto não! Quero que o mate! E sem dó nem piedade. Um único tiro e tem que ser bem dado.

E assim aconteceu...



Donizete caminha pela mata e encontra o casal juntos em meio às águas da cachoeira. E ele prepara sua espingarda e direciona o alvo para o peito esquerdo de Dionísio no momento em que ele conversa com Esmeralda próximo da toca.

_Um único tiro e tem que ser bem dado. _ele repete pra si mesmo a frase de Alexandre.

Mas no momento que ia atirar, um outro tiro acerta Dionísio.”

Ao lembrar disso, o empregado não resiste e morre diante do espírito que fecha os olhos e levanta a cabeça, dizendo que o seu espírito seja guardado em paz.

O espírito sai do corpo de Donizete, mas é puxado por forças malignas.

_Eu não quero ser levadooooooooo!



Enquanto isso, Crislaine volta à si quando se depara dentro de um círculo em chamas e em sua frente, um pequeno altar com frutas, incensos e uma toalha vermelha. Ela fica perplexa com aquilo e se surpreende quando Henrique o chama.

_Oi Crislaine!

_Só podia ser você ne? O que está acontecendo? _ela diz nervosa.

_Não tenha medo! Você conhece os meus segredos. Aliás, aprendeu a maior parte deles comigo.

_Isso que você está fazendo comigo é imperdoável. Me tira daqui agora.

_Você terá uma morte surpreendente minha querida.

_Você é louco! Me tira daqui agora antes que...

_Antes que o quê? _e ele tira do seu bolso o cordão de Esmeralda e decide colocá-la em uma mesa ao lado.



Crislaine reconhece a pedra esverdeada do cordão e pensa consigo mesma:

“Não pode ser! É a mesma pedra que eu tinha na minha infância.”

E as cenas do passado voltam em sua mente.



“_Minha querida Crislaine, essa pedra esverdeada se chama Esmeralda. Ela simboliza o amor, a riqueza e a paixão. Estes três significados começam a fazer parte de sua vida agora. Você vai amar, se apaixonar e se enriquecer. Primeiramente, o amor e depois a recompensa. Mas os dois caminham juntos lado a lado. _disse Morgana a ela, na floresta.”

Crislaine olha fixamente para a pedra e sua atenção é interrompida quando Henrique volta a falar.

_Preparada para morrer Crislaine?

A jovem fica séria ao ouvir tais palavras e em seguida, responde:

_Se você conseguir me matar...



Com o passar das horas e depois de contar a Esmeralda o que Harris disse, Herus vai até a casa de Morgana na floresta e Esmeralda decide acompanha-lo também.

_Você não precisa ir comigo Esmeralda. Sinto que não está bem.

_Por favor, Herus! Eu preciso saber dessa história direito. É a minha vida e o meu passado. _diz ela, séria.



_Morgana precisa nos dizer que segredos Guilherme escondem.

_Meu amor, Harris conhece bem o pai. Ele pode nos ajudar nisso. E tudo isso é tão confuso. Guilherme me ajudou muito no passado.

_Talvez essa amizade seja um pretexto de algo mais forte.

_Do que está falando Herus? _se encabula Esmeralda na garupa da bicicleta.

_Estou falando que Guilherme pode ter cometido esse crime por sua causa. _diz ele, acelerando a bicicleta disparadamente pela esquina.



Ralph chega na nova casa de Crislaine e ao perceber que ninguém estava ali, ele fica preocupado.

_Onde será que aquela doida se meteu? _ele fica pensativo.

Já no casebre dentro da floresta, Morgana acende uma vela e sente que uma das suas protegidas está sob ameaça de morte e fica pensativa. Guilherme bate à sua porta e ela atende imediatamente.

­_Eu vim o mais rápido que pude.

_Guilherme, eu estou preocupada.

_Eu também estou. Acabei de ver na bola de cristal que uma das nossas está em perigo.

_E você sabe o que significa né?

_Sei. Que a gente não pode perder tempo. Ou paramos Henrique agora ou ele vai acabar nos parando.

_Henrique não sabe que estou protegendo-a.

_Mas ele sente. Ele vai fazer a mesma coisa com ela como fez com a minha pobre Elisabeth.

_Não se você deixar.

_O que quer dizer? Eu não sou páreo para Henrique. Aliás, eu queria muito combatê-lo mas as forças dele podem ser capazes de me destruir.

_Por isso que o Harris tem mais chances que você e ele precisa estar frente a frente com Henrique.

_Meu filho não Morgana! Eu já perdi a Elisabeth. Eu não quero perder o Harris.

Nesse momento, batidas na porta os assustam e a voz do Herus os surpreendem. Morgana abre a porta em seguida.

_Preciso conversar seriamente com a senhora. _diz o rapaz ao ser atendido pela velha.

Morgana escancara a porta e Herus se surpreende ao ver que Guilherme já se encontrava ali. Esmeralda fica séria ao ver o amigo também.

_Que prazer revê-lo Herus! _diz Guilherme.

_É um prazer imenso rever o assassino de Dionísio em minha frente também. _diz Herus, sério e fazendo Esmeralda ficar chocada com aquilo.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lançamento!

 
Copyright © 2013 Conectando Ideias - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT
close
#