Blogs Brasil

® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

38º Capítulo - Perdidos de Saudade (Últimos Capítulos)

*Já estreou!


Mais tarde, Martha chega na empresa e procura pelo filho Luís. Os dois decidem conversar numa sala reservada.
- A senhora não parece estar bem. O que houve? - pergunta o filho preocupado.
- Presta atenção: você vai ter que ir na delegacia, meu filho.
- Na delegacia? Pra quê? - Ele se indaga.
- Você vai encontrar Betina.
- Mãe, mas eu não quero ver aquela mulher de novo. Ela me separou de você!
- Eu sei filho mas me escuta: você precisa vê-la. Eu estive na delegacia e falei com ela. Fui procurar informações referentes ao Rubens. Lembra que teu pai abandonou o sonho do passado e que não quis seguir adiante?
- Sim, mãe mas o que a Betina tem a ver com isso?
- Eu descobri que a sua avó Vera atrapalhou o sonho do teu pai. Betina me contou tudo!
- Mãe e o meu pai sabe disso?
- Não. Ainda não sabe mas o que importa agora né? Foram águas passadas e ele está feliz por poder voltar a pisar em um estúdio de rádio novamente.
- E se ele está feliz, porque a senhora quer mexer nesta história?
- Porque eu preciso meu filho. Eu tinha que saber até que ponto a sua vó chegou com tudo isso. Mas enfim, Betina me contou tudo mas me cobrou sua presença lá. Acho que você precisa ir pelo menos por uma última vez.
- Se a senhora insiste, tudo bem! Mas eu vou e não vou me demorar. Eu quero ficar longe dela.
- Obrigada meu filho! Eu te amo muito. Saiba disso sempre!  - diz Martha, o beijando no rosto e o abraçando fortemente.

Daniel chega em casa e encontra Luan na sala sentado de cabeça baixa.
- Amor, não foi trabalhar?
Luan olha pra ele neste instante.
- Eu fui na casa da sua mãe.
Daniel fica sério.
- Amor, como assim? O que você foi fazer lá?
- Eu fui tentar resolver algumas coisas mas percebi que não adiantou nada.
- Eu estou preocupado.
- Não fique Daniel!
- Minha mãe não te aceita.
- E você acha que eu não sei disso? Eu fui falar algumas verdades e acabei também escutando coisas dela que me machucaram e muito. Sua mãe acredita que não seremos felizes.
- A gente sabia disso né?
- Sou um idiota! Eu queria que a Laís fosse mais compreensiva em relação á nós dois até porque temos um bom tempo que estamos juntos. Ela sempre fica contra o nosso relacionamento.
- Vamos viver nossas vidas junto. Um dia, ela vai entender que está totalmente errada e vai voltar atrás em tudo que falou. Eu quero ficar com você!
- Eu também, meu príncipe! - diz Luan, tocando seu rosto carinhosamente.


Béth vê seu filho Marcos sair da sala e os dois se entreolham. Ao saírem juntos do hospital, dialogam.
- Como foi lá?
- Foi tranquilo. A Liliane não se exaltou dessa vez e ficou na dela.
- Menos mal! Eu confesso que fiquei pensativa sobre essa possibilidade.
- Está tudo certo, mãe! Agora aguardar o resultado desse maldito teste.
- Filho, se este bebê que ela espera...
- Mãe, relaxa! Eu vou assumir a criança. O Roney e a Vívian conversaram comigo sobre isso.
- Está bem! Você tem o meu apoio sempre. - diz Béth, amável.

Na empresa, Luís decide almoçar no mesmo refeitório que os funcionários almoçam e isso atraem certos olhares à ele, principalmente de Florisbela que estranha aquela atitude. Ele se aproxima dela e se senta do seu lado na mesa. Os funcionários ficam observando a cena.
- Você parece louco! - Ela diz.
- Por que?
- Oras, você está no refeitório dos funcionários.
- Ah que isso! - Ele diz, sem se importar com o ambiente e as pessoas ao seu redor.

Sem restrições

- Você é tão diferente.
- Eu não me importo de estar aqui. Sério!
- Que bom! Me sinto bem do seu lado, sabia?
- Poxa que bom! Gosto também. Isso aqui tá uma delícia. - diz ele, provando a comida e tirando sorrisos da jovem. - Acho que vou repetir mais um pouco.

Mariana estaciona seu carro no estacionamento do hospital e ao abrir a porta pra sair, é surpreendida por dois homens encapuzados que a rendem. A jovem é obrigada a entrar novamente no carro e os dois assaltantes controlam a situação. De longe, uma pessoa vê a cena e sorri.

Mariana é perseguida

O sequestro relâmpago de Mariana há poucos dias antes do seu casamento, vira motivo de muita preocupação pra família Lopez. Carlos, o futuro noivo fica a ponto de ter um colapso ao saber da notícia e Martha não consegue imaginar se acontecer algo de ruím a sua filha querida.
O delegado Jota se mobiliza para qualquer acordo com os bandidos.
Enquanto isso, Mariana fica assustada com a pressão dos bandidos e o carro controlado por eles, segue por estradas desertas. Assustada e confusa, eles pedem que ela não reaja. No horizonte, já se espera a noite chegar.
- Preciso de notícias da minha filha! - diz Adalberto ao chegar na mansão.
- Estamos aguardando o contato dos sequestradores. - diz Martha, preocupada.
- Eu não posso ficar aqui sem fazer nada. Preciso ir atrás dela! - diz Carlos.
- E pra onde você vai? Não sabemos onde ela. - Interfere o delegado Jota.
- Meu Deus do céu, onde está a Mariana? - diz Martha, totalmente agoniada.
Nessa hora, chega Luís e abraça Martha.
- Mãe, como aconteceu isso?
- Eu não sei filho! A única coisa que sabemos é que ela foi rendida no estacionamento do hospital.
- Martha, desculpa mas eu não vou ficar aqui. Eu vou atrás do meu amor! - diz Carlos, saindo depressa.
- Espera Carlos! Eu vou com você! - diz Luís.
- Filho, não vá! Pode ser perigoso. - Interfere Martha.
- Mãe, se acalma! Tudo vai dar certo.
- Eu acho que vocês deviam esperar. Estamos cientes da situação. - diz o delegado.
- Eu confio em vocês, porém preciso ajudar. - diz Luís, decidido.
E ele sai porta afora.
- Jota, não adianta! Luís não tem controle. - diz Martha.
- Ele é parecido contigo. Bem insistente!

Na delegacia, Laerte visita Betina e o encontro parece ser bem agradável.
- Quer dizer que aquela família está passando por mais uma provação né?
- Sim, Betina. Sequestraram a Mariana! A família está em choque.
- Eu não sinto pena nenhuma dessa gente. Que se explodam! Mas muito bem feito pra Martha. Eu não consegui ter o Luís de volta, mas pelo menos ela vai perder a filha tão amada.
- Martha tem dinheiro. Muito dinheiro!
- Mas não vai ver a filha de novo! Está é uma praga que rogo á ela.
- Credo, Betina!
- Mas é verdade! A que se faz, a que se paga. Ela estava toda radiante achando que a filha ia se casar de véu e grinalda. Ahh! Que bom que isso não vai acontecer.
E Betina cai a gargalhar diante de Laerte.

Daniel chega na casa da mãe e decide ter uma conversa séria com ela. Talvez uma conversa definitiva.
- Eu posso saber por que nos odeia tanto?
Laís fica séria com a pergunta do filho.
- Eu não te odeio, pra começar o assunto. Eu te amo e me preocupo com você.
- Ah se preocupa tanto que é contra a minha felicidade.
- Eu não me sinto satisfeita com a escolha que fizeste.
- E eu não me sinto satisfeito com a mãe que tenho.
- Você deveria ter vergonha de falar uma coisas dessas. Eu sempre zelei por você. Nunca deixei te faltar nada.
- Sim. Isso é verdade. Eu não te julgo por isso. Apenas agradeço de coração. Mas eu estou feliz com a escolha que fiz e isso parece ser uma coisa abominável pra você.
- Filho, desculpa mas eu não consigo aceitar o que você faz. Isso é uma coisa pessoal, é algo de mim que você não vai poder mudar.
- Eu sei disso! Mas eu estou bem. Com ou sem o seu apoio, eu vou continuar seguindo minha vida com o Luan e isso você não pode interferir. Eu gosto dele mais do que se imagina. Eu não quero que as nossas vidas se afastem, ao contrário, quero ver um dia nós três juntos, sendo uma família de verdade.
- Não sonhe com algo que nunca vai acontecer. - diz Laís, deixando seu ultimato.

Carlos chega no hospital e decide perguntar a algumas pessoas se viram o ocorrido no estacionamento. Luís diz a ele que os sequestradores podem ter outro motivo, raptando Mariana.
Béth concorda com Luís. A senhora também se sente preocupada com esse desaparecimento.
- Mãe, mas quem quer me afastar da Mariana? - pergunta Carlos.
- Se a Vívian estivesse aqui, eu colocaria ela no fogo. - diz Béth.
-Mãe, as coisas não são assim. A Vívian não tem mais nada com o Carlos. - diz Marcos, interferindo na história.
- Eu só acho que esse sequestro está muito estranho. Deve ter o dedo de alguém conhecido. Eu só não sei quem. - diz Luís, pensativo.
- A única pessoa que não gostava da Mariana é a Sandra. - diz Carlos, lembrando de uma conversa que teve com sua amada tempos atrás.
- Esta Sandra trabalha no hospital? - pergunta Béth.
- Bom, acho que sim ainda.
- Então temos que falar com ela agora! - diz Luís.
- Luís, temos que ter calma! Se foi a Sandra que causou isso, ela vai negar até a morte. A gente tem que pensar bem antes de agir. - diz Carlos, sério.

Sandra caminha devagar pelo corredor do hospital e ouve boatos do sequestro de Mariana. Ela fica imóvel por um tempinho mas também não demonstra preocupação. Ao entrar numa sala reservada, ela decide fazer uma ligação ás escondidas e pergunta se está tudo bem. Ao ouvir que sim, ela desliga o celular e coloca no bolso novamente. Flávia a pega de surpresa na sala.
- Oi! Eu não sabia que tinha alguém aqui.
- Ah desculpa! Eu estava tirando um cochilo.
- Sorte que eu cheguei aqui. Se fosse o Orlando, você ia ouvir um sermão daqueles.
- Eu sei. Não conta pra ele!
- Tá! Mas não faça mais isso menina. Aqui é uma sala particular. Não pode tirar cochilo.
Sandra consente e sai porta afora, deixando a jovem desconfiada.
- Coisa estranha eu ver ela aqui.

Luís volta ao hospital novamente com Carlos e os dois decidem combinar algo.
- Eu vou atrás da Sandra e você fica aqui me esperando. Se ver ela sair do hospital, por favor me liga imediatamente.
- Pode deixar cunhado! - diz Luís, sério.
Carlos aperta a sua mão e sai do carro. 
- Boa sorte!
Entrando no hospital, Carlos procura por Sandra e Flávia ouve.
- Oi Carlos! Está procurando a Sandra? Aconteceu algo?
- Não. É que preciso encontrar com ela. Por acaso sabe onde posso achá-la?
- Tem uns dez minutos que eu a encontrei. Ela deve estar no segundo piso.
- Eu vou até lá. Obrigado, Flávia!

Do carro, Luís decide jogar um jogo no seu celular enquanto espera Carlos chegar com boas notícias e de repente, avista Sandra sair. O rapaz desconecta do jogo imediatamente e liga pra Carlos.
- Vem logo! Parece que ela está indo embora.
- Eu estou chegando! - diz Carlos, fora de si.
Sandra decide pegar teu carro e ao ligar as chaves, ela olha pelo retrovisor se tem alguém observando sua saída. Ela não percebe mas Luís a vê sair. 
Carlos chega atrasado e encontra com Luís. Ele decide ir atrás da jovem a qualquer custo.

Corre!

* E LOGO ESTAREMOS RETORNANDO COM OS CAPÍTULOS INÉDITOS DE COM QUEM EU FICO!


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lançamento!

 
Copyright © 2013 Conectando Ideias - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT
close
#