Blogs Brasil

® Talentosos Escritores 2011/2015 - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.
"O site Talentosos Escritores" estará passando por mudanças em breve. Portanto, a ausência de postagens de conteúdos importantíssimos como as novelas por exemplos. Mas isso é algo que estamos organizando, tempo ao tempo. Eu, como administrador, estou contando com uma equipe boa pra poder fazer o site cada vez melhor. A gente está se reunindo pra obter novidades em alta pra você, que nos acompanha há muito tempo. Peço desculpas pela demora dos conteúdos e a gentileza de aguardarem pacientemente. O Talentosos Escritores vai mudar, mas tenho certeza de que será pra melhor ok! Um grande abraço a todos." - Leandro Angellus

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Terceiro Capítulo de Com Quem Eu Fico


Robson chega em casa vibrando por ter marcado um encontro com Pâmela e encontra Wesley na sala.
- O que houve, irmão? Por que tanta alegria?
- Brother, eu consegui marcar um novo encontro com a garota que te falei? - ele diz, sorrindo.
- Ah  sim. Bacana hein irmão! Bom, pelo menos você já conseguiu um novo encontro. Será que ela vai dessa vez?
- Cara, era isso que eu ia comentar contigo agora. Ela foi na noite passada só que não nos encontramos, porque o celular dela tinha descarregado. Mas o importante é que esclarecemos tudo.
- Que bom, brother! Fico feliz por você! - responde ele.
Robson sorri e abraça o irmão, grato.

O fim de semana chega e Cínthia e Mateus chegam a Angra. O rapaz fica maravilhado com a paisagem vista do jatinho.
_muito bonito essa visão do alto, né? _diz ela, sorrindo.
_é um verdadeiro paraíso. _ele completa.

Ilha de Cataguases
Ilha de Cataguases

 Ao chegar em casa, Cínthia abraça os pais feliz e apresenta o namorado. Odilon decide oferecer uma bebida ao rapaz.
_pai, vê se não exagera, ok? Mateus não conhece nada da nossa cidade. _orienta Cínthia.
_você nunca veio em Angra? _se pasma Catarina. _ah, precisa conhecer, então.
_eu vou mostrar tudo a ele, mãe.
_ah, bem! Estou feliz por estar de volta, filha!
_eu senti muito a sua falta, minha mãe. Eu estou sentindo cheiro de algo. Não me diga que é...
_sim, é o risoto que eu acabei de preparar.
_risoto? Que legal, mãe! _diz ela feliz, por ver o seu prato preferido.
Catarina sorri com a atitude da filha enquanto Odilon bebe com Mateus.

Daniela deixa sua mãe sair e decide entrar seu quarto. Ela procura por algo nos armários e no guarda-roupa. Então, ao abrir uma gaveta, ela descobre uma caixa. Abre-o e nada acha. Sobe em cima da cama e verifica algumas caixas em cima do guarda-roupa, quando uma caixa média cai de suas mãos e vai direto ao chão. Ela desce da cama e pega a caixa antes que sua mãe volte pra casa. Ela abre a caixa e encontra algumas fotos do passado. Dentre as fotos, aparece a de seu pai, sorrindo alegremente.
_finalmente, eu te achei. _ela diz contente ao ver a única pista. _dessa vez, eu vou te achar.
O seu tão sonhado propósito estava a sua frente ali. Seu pai, que nunca conhecera, estava por um fio de ser encontrado. Aquela foto veio no momento certo.
“Mas por que minha mãe não me mostrou essa foto? Por que ela escondeu de mim esse segredo? Que intenção ela teria pra fazer isso? Será que ela mentiu pra me proteger de algo? Não! Não pode ser. Minha mãe confia em mim ou será que estou enganada? Que droga! Eu estou começando a desconfiar da minha mãe outra vez. Eu prometi a mim mesma que jamais iria tocar nesse assunto com ela, pois só a faria sofrer ainda mais. Ela me deu a sua vida, me cuidou, me protegeu sempre. Eu não posso desapontá-la. E essa foto, o que eu faço? Será que mostro a ela? Digo a ela que eu o achei sem querer? Sim, eu vou dizer a ela que encontrei a foto em algum lugar da casa. Não! Ela vai desconfiar de mim. O que eu faço, meu Deus? Eu preciso saber do meu pai, mas também não quero fazer minha mãe sofrer.”
De repente, Wanda a encontra.
_o que faz em meu quarto, Daniela?
A jovem se assusta com a mãe, que encontra uma foto em uma de suas mãos.

Marcelo encontra André numa sorveteria e os dois se cumprimentam.
_como está indo no teatro? _Marcelo pergunta ao amigo, que atua como ator de teatro há dois meses.
_eu vou bem. Agora estou em cartaz numa peça nova. Você precisa conferir!
_claro. Vou sim! E como vai a sua irmã?
_ela está bem, Marcelo. _responde o amigo.
_ainda está sozinha? _ele pergunta curioso.
_por que a pergunta, Marcelo? Não vai me dizer que ainda quer ficar com ela?
_bom, eu só fiz uma pergunta brother. Nada demais!
_sei. Você ainda gosta dela né?
_eu gosto sim André, mas sei que não tenho mais chances com ela.
_desde os tempos da faculdade que você andava cercando a minha irmã brother. Eu só não entendo porque não deu certo.
_sua irmã tinha outro cara na parada. Ela não queria nada comigo, mas eu também não desistia.
_e não desiste mesmo, porque até hoje você ainda pensa nela.
_bom, eu só queria saber como ela estava mesmo. Nada demais!
_Marcelo, ela está bem. Agora está trabalhando e está vivendo uma fase independente, aliás era tudo o que ela queria. Se envolveu numa relação conturbada e agora ela não quer mais saber de homem nenhum.
_entendo.  _diz Marcelo, pensativo.
_aceita um conselho de amigo: desiste da minha irmã! Ela jamais vai querer alguém em sua vida agora. Ela está feliz do jeito que está, curtindo a vida como ela sempre quis sem compromissos amorosos e totalmente independente.
_bom, mas as coisas mudam meu amigo! Priscila ainda vai ser minha! _diz Marcelo, vantajoso.
André sorri com as palavras do amigo.

Daniela não consegue esconder a foto de Wanda.
_mãe, eu sinto muito. Mas eu acabei entrando em seu quarto e descobri essa foto em seus guardados. _ela confessa.
_por que filha, fez isso? Você não podia.
_mãe, desculpa! Eu não queria ter lhe magoado.
_deixa pra lá. Um dia, você iria saber mesmo. _diz ela, sentando descontente na cama. _uma hora, eu tinha que te dizer a verdade. Não que eu já tenha lhe dito, filha, porque tudo que te disse ainda é válido.
Daniela se aproxima de Wanda e senta próximo da cama.
_Eu não menti sobre o seu pai, não. Ele sempre foi um homem de negócios e atualmente, nada sei sobre a vida dele. Não sei o que ele fez depois de me deixar sozinha com você. Eu só queria que você soubesse que se lhe ocultei esse fato de você esse tempo todo, foi apenas por medo de não lhe perder.
_mãe, eu não quero te ver triste de novo e saiba que a senhora não vai me perder nunca. Eu não devia ter mexido nessa foto. Eu vou desistir dessa idéia doida de encontrar o meu pai. _diz ela, guardando a foto na caixa.
Wanda tira a caixa da mão dela e pega a foto novamente.
_não! Você não pode fazer isso. Se você quer encontrar o seu pai, não desista por minha causa. Filha, eu vou te ajudar no que for pra você encontrá-lo. O que eu não posso é deixar você desistir. Você me entendeu?
_mãe, tem certeza de que quer fazer isso por mim?
_filha, eu já perdi muito tempo da minha vida tentando consertar os meus erros do passado. Seu pai tem que saber que você existe nessa vida. É o direito seu que está em primeiro plano. Não é que eu quero o dinheiro dele, não, porque isso não vai mudar a minha vida nem a sua, mas é por você, filha.
Daniela pega em sua mão nesse instante e ela continua:
_Você tem que conhecê-lo, saber ao menos a verdade de uma vez por todas sem mentiras e sem pedir nada em troca. Isso é um sinal de afeto, de sentimento.
_obrigada, mãe! Eu sabia que podia contar com a senhora.
_filha, tudo o que eu mais quero nessa vida é que você esteja feliz. Nada me importa sem a sua felicidade.
_mesmo assim, eu quero agradecer muito pelo que a senhora está fazendo por mim. _diz Daniela, lhe abraçando fortemente.

Mãe e filha

Agora o seu desejo de encontrar o seu pai ficou ainda mais forte, com o auxílio de uma pessoa tão especial. Seria o sinal do destino?

Robson se arruma pra ir ao encontro marcado com Pâmela, quando Wesley decide ligar pra mesma na hora exata, mas o telefone da jovem toca e ela não consegue atender, pois estava ocupada tomando banho.
_o que houve, irmão? _pergunta Robson ao irmão, que fica preocupado.
_Pâmela não atende minha ligação.
_pode ser que ela esteja ocupada.
_sim. Tem razão. _diz ele, deixando o telefone de lado.
_e aí, você vai me deixar no clube?
_claro. Vou te levar sim. Vou pegar as chaves. _diz Wesley, pegando as chaves do carro de cima da mesinha do quarto.
Ao entrar no carro, os dois irmãos conversam sobre a tal jovem misteriosa.
_será que hoje você encontra essa garota da internet, Robson?
_bom, eu estou torcendo por isso mano! Mas quer saber: acho que hoje tenho sorte sim. Pelo menos ela me garantiu que iria né?
_hum. Entendi! Boa sorte, irmão! _diz Wesley batendo em suas costas.

Enquanto isso, Vânia fica insatisfeita ao saber que a prima Pâmela vai passar algumas semanas em sua casa.
_ eu jamais vou permitir a presença dela aqui nesta casa!
_cuidado com as palavras, mocinha! Eu sou a dona da casa e permito a entrada de quem eu quiser nela, portanto não adianta ficar de bico porque a sua prima vai ficar e ponto final!
_ela entra por aquela porta e eu saio por outra.
_por que você a odeia tanto, minha filha?
_mãe, eu já disse! A Pâmela não fica nessa casa enquanto eu estiver aqui.
_mas que garota teimosa! Você poderia me dar o único motivo de não a querer aqui dentro?
_a senhora sabe o que penso sobre ela.
_não. Não sei, minha filha! Tudo o que eu sei da sua raiva com ela foi devido aos tempos da escola, mas isso é tolice, filha! Vocês duas cresceram e não podem ficar remoendo mágoas do passado. Pâmela mudou e você também!
_engano seu, mãe! Eu continuo a mesma de sempre. Eu mudei algumas atitudes sim, mas a minha relação com aquela garota não teve mudanças nenhuma. Eu a odeio e continuo odiando desde... _ia dizer Vânia quando batem a porta e Cleusa se distrai.
_a nossa conversa ainda não acabou, hein? _diz ela, indo abrir a porta e deixando a jovem irritada por dentro.
Cleusa abre a porta e uma vizinha a cumprimenta, perguntando se havia algo á emprestar e carinhosamente, a bondosa senhora decide ajudá-la.
Vânia fica pensativa com as palavras da mãe e reflete:
_se Pâmela realmente ficar nesta casa, eu vou fazer de tudo pra que ela vá embora o mais rápido possível!

Verônica toma um refrigerante diet e assiste televisão quando seu pai Humberto entra porta adentro.
_pai, eu queria muito falar contigo.
_o que se trata? É sobre a viagem com o Yuri? Nem pensar!
_pai, não se preocupe. Eu não vou mais viajar com ele.
_por quê? _ele pergunta, intrigado.
_eu terminei tudo. O senhor estava certo sobre ele.
_graças ao meu bom Deus! Até que enfim, você tomou a atitude certa, filha. Nossa! Você me deu um alívio e tanto.
_pai, não exagera, ta. Eu terminei com ele porque eu vi que não íamos dar certo. Ele tem outra, pai e estava me enganando esse tempo todo.
_eu te disse que ele não era um bom rapaz. Agora, você me entende porque eu nunca fui com a cara dele e nunca apoiei o seu namoro? Porque ele não presta, simplesmente isso!
_pai, vamos esquecer esse assunto, ok?
_claro, filha. Eu também tenho um assunto pra falar com você.
_o que foi? Pela sua cara, não é nada legal, certo? _ela percebe a expressão séria em seu rosto transparecer.
_eu vou ter que me ausentar de Angra por duas semanas. _ele revela, descontente.
_por quê? _ela se intriga.
_filha, eu tenho negócios importantes em São Paulo. Os acessores precisam do meu auxílio por lá. São apenas duas semanas, eu prometo. E você não estará sozinha. Temos ótimos empregados por aqui. Seguranças requisitados. Enfim, você tem tudo. O Tenório também vai ficar caso você precise.
_ah, claro! Pai, por que o senhor confia tanto no Tenório, hein?
_você já vai começar com esse assunto de novo? Não é possível!
_o Tenório está sempre do seu lado em tudo. Eu não vejo confiança alguma nele.
_por que está me dizendo isso? Ele já roubou a nossa casa?
_não. Eu nunca o vi cometendo um furto, mas o senhor confia muito nesse homem. Até parece que o senhor tem um pacto com ele.
_Verônica, você sabe há quanto tempo o Tenório está conosco? São quinze anos de profissão. Eu confio nele como se fosse a minha sombra. Você não pode julgar o Tenório como se julgasse qualquer uma das suas amigas. Estamos entendidos?
_tudo bem. Não está mais aqui quem falou. Eu só acho que esse empregado ocupa muito espaço por aqui.
_Tenório é um bom homem e está em nossa casa há muito tempo. Eu sempre vou confiar nele ok!
_Está bem! Eu queria levar um papo sério contigo também.
_pode falar! _diz ele, seguindo para o escritório.
_eu pensei muito a respeito daquela viagem que o senhor me prometeu no fim de semana passado e eu estou disposta a aceitar.
_podemos falar dessa viagem quando eu voltar de São Paulo?
_mas, pai, o senhor vai me deixar na expectativa.
_eu sinto muito, Verônica. Agora, por que não me deixa um pouco sozinho que eu tenho que organizar a minha viagem pra amanhã bem cedo.
_ta legal! O senhor é o chefe de tudo. Tudo tem que ser ao seu tempo. _ela sai irritada, voltando pra sala.
_filhos! Será que eles nunca vão amadurecer? _se pergunta Humberto, se acomodando na cadeira do seu gabinete.

Dani encontra sua melhor amiga chamada Mirela, uma jovem inteligente e pessimista que sempre a apóia nos momentos difíceis. Mirela é do tipo de pessoa que você pode contar sempre em qualquer situação. Se ela estiver ao alcance de ajudar, ela te ajuda sem pensar duas vezes. Desde que conheceu Dani na escola aos sete anos, ela se tornou uma pessoa de confiança. Não é a toa que ela compartilha seus segredos com a nossa protagonista. Ao encontrá-la e transmitir a sua angústia, Dani a pede que ajude em relação ao pai desaparecido. Mirela não nega o pedido e decide procurá-lo pela internet. E lá estão as duas de olho no computador.
_tem certeza de que ele é famoso por essas bandas? _pergunta séria Mirela.
_sim. Minha mãe me disse que ele é um empresário bem sucedido e que tem propriedades nessa região. _responde a jovem.
_bem, eu vou continuar tentando, ok? _diz ela, sem parar de teclar no computador.
_Ok! _diz Dani, alegremente. _Não vejo a hora de encontrá-lo!
_Posso te fazer uma pergunta?
_Sim, amiga! Até duas se quiser.

Amigas unidas

_Quando vocês se encontrarem, o que vai acontecer? Porque pelo que sua mãe disse, ele não sabe sobre você e é famoso.
_Eu não sei amiga. Eu realmente não sei o que vou fazer.

Já em Copacabana, Ronaldo arruma suas coisas e Rafaela o ajuda nas malas. Ela encara o namorado fixamente e diz:
_eu vou sentir muito a sua falta, viu?
_eu também, Rafa. Sentirei muito a sua falta.
_vê se não demora, ok? Eu fico preocupada em saber que você está sozinho por lá.
_por quê? Você não precisa ficar desse jeito.
_você sabe porque digo isso, não sabe?
_Rafa, eu só tenho olhos pra você. Você sabe perfeitamente disso mais do que eu.
_eu sei, meu amor. Mas é que eu.......
_você confia em mim? _ele pergunta, olhando seriamente em seus olhos.
_sim. Eu confio. _ela responde atenta.
_então, pronto. Depois que eu resolver essa questão familiar, eu volto pra te buscar, viu? Você me espera?
_claro. Eu vou te esperar, sim. Sempre.
_você me deixa muito feliz, sabia? Você não sabe a alegria que sinto por dentro em ouvir isso.
_eu imagino, Ronaldo. _diz ela, alegremente e o abraçando fortemente. _espero que tudo dê certo!
_vai dar, sim, minha vida, minha razão de viver.


Os dois se beijam felizes e cheio de sentimento, que resolvem dar continuidade naquela despedida. Rafaela decide entregar a sua alma e o seu corpo ao seu grande amor e com isso, ocorre uma forte paixão que os envolvem inteiramente. Aquela seria a última vez que os dois se amariam.

Aquele beijo

Helen chega do mercado e encontra Renata na sala assistindo televisão.
_Renata, você não foi á entrevista de emprego hoje?
_eu fui, sim Helen mas não fui aprovada.
_e porquê? _ela se indaga.
_a minha escolaridade e a disponibilidade de horário.
_Renata, se for por causa do seu filho, você está ciente que eu posso ficar com ele quando você for trabalhar. Eu não me importo.
_eu sei, Helen mas eu não quero me aproveitar da sua boa vontade. Eu vou arrumar outro serviço que não tome muito o meu tempo.
_qualquer serviço é assim mesmo. Não tem jeito! Você não vai conseguir cuidar do seu filho e trabalhar. Eu posso te ajudar!
_bom, já que você não se importa.
_fique tranqüila! Eu não me importo de cuidar do seu filho. _diz Helen sendo gentil.
Renata agradece sorrindo e decide mudar de assunto:
_Helen, já que estamos falando do meu filho, quero lhe perguntar se posso deixá-lo contigo nesta sexta á noite? É que vai rolar um pagode e eu não queria perder entende?
_Renata, já conversamos sobre isso. Você vai sair nesta sexta de novo?
_por favor! _implora Renata e Helen fica perplexa, mas no final acaba consentindo.

Marcelo encontra Priscila no ponto de ônibus e a convida pra entrar em seu carro.
_Priscila, entra aí! Te levo pra casa!
_não. Muito obrigada! Vou de ônibus mesmo. _ela diz, dando de ombros.
_deixa de ser boba! Eu te levo pra casa. Pode confiar?
_tudo bem. _diz Priscila, o encarando seriamente e concordando em entrar no carro.
Marcelo abre a porta e ela senta ao seu lado.


Wesley deixa Robson na esquina próximo ao clube e lhe deseja mais uma vez sorte. Logo após, ele sai em disparada.
Robson entra no clube e procura por Mariana (Que na verdade se chama Pâmela), que no exato momento se encontra no bar – o mesmo local de encontro em que ela conhecera seu irmão mais novo – e os dois finalmente se encontram pela primeira vez pessoalmente. Os dois jovens se cumprimentam um ao outro e decidem pedir algo pra beber, logo após um abraço apertado e selinhos no rosto. Wesley, em seu carro percebe que esquecera as chaves da porta de casa com Robson e decide voltar ao clube pra pegá-las. Ao chegar, ele entra á procura do irmão e é tomado por uma grande surpresa ao ver que seu próprio irmão estava com a garota que ele ficara. Ele fica confuso de início e chega á uma conclusão quando se lembra do primeiro dia que a conheceu.
_então, ela esperava por ele naquela noite! Pâmela é a garota da internet que meu irmão estava apaixonado. _ele fica totalmente sem chão ao verem os dois juntos conversando.

*Continua...



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lançamento!

 
Copyright © 2013 Conectando Ideias - Traduzido Por: Templates Para Blogspot
Design by FBTemplates | BTT
close
#